Marcadores

Acrósticos (51) Pílulas (49) Homenagens (20) Desabafos (15) Sonetos (15) Mulheres (12)

O Que Este Poeta Está Lendo?

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Uma Noite De Paz


O que pode fazer um Homem,
Contra tão violento Ódio?
Mas mortes presentes se fazem,
No uso viciante de nosso ópio.

Nunca se mostrou ou existiu santidade,
Só a mais cruel e humana insanidade.
O que ocorreu aos nossos corações,
E aos lábios que entoam falsas canções?

Tantas mortes, abominações incalculáveis.
Sociedade diabólica de pessoas desprezíveis,
Que imputam em nossas almas o Mal.

Cansei das orações de falas corrosivas,
Que só nos enganam com grandes mentiras.
Não quero mais ver ou viver o horror do Natal.

23 de Dezembro de 2012
O Filho Perdido

Versando

Versando este verso versado,
Que agora mais parece um fardo,
Não sei o que ele deve significar,
E nem mesmo o porquê quero versar.

15 de Novembro de 2012
O Filho Perdido

sábado, 29 de setembro de 2012

Este Bruto Também Ama

Eu não deveria ser alguém tão Machista,
E tão pouco o Amor deveria ser egoísta.
Eu quis de tua boca ouvir belos cantos,
E nunca causar-te dolorosos prantos.

Se alguma das minhas caricias te machuca,
Eu te peço de coração, que me dês a tua ajuda,
Pois não sei como tocar ou tratar uma mulher,
E nem mesmo ler o que o seu coração quer.

Eu só quero poder te fazer sorrir,
Para que um ao outro tenhamos paz,
E que tu nunca na vida venhas se ferir.

Eu anseio em livrar-me desta Brutalidade,
E só tu com o teu amor que é capaz,
De resgatar a minha humanidade.

29 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Inquietos

Há tanto que gostaria de dizer,
Mas temo não o fazê-lo antes de morrer.
Não é justo que nos seja permitido sonhar,
Mas não possamos ter o poder para realizar.
Não é justo que tenhamos que viver,
Em uma existência de puro sofrer,
Apenas aguardando a hora de morrer.
Não é justo nascer como ser humano,
Neste mundo cada vez mais insano.
Não é justo estar diante de nossos queridos sorrindo,
Para apenas depois velos para sempre partindo.
Não é justo que quem se emociona ao ver à Aurora,
Não estender a mão a quem padece e chora.
Não é justo que o tempo seja tão ágil,
Enquanto a vida humana é tão frágil.
Não é justo que padeçam como animais,
Aqueles que lutaram por seus ideais.
Não é justo ver os mais Jovens,
Pelo destino cruel feitos de reféns,
E com isso na mais tenra idade,
Tenham que contemplar tanta crueldade.
Nunca foi justo sonharmos com Amor,
E termos que na vida só receber Horror,
No qual padece ao poucos qualquer Vigor.

24 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

Dádivas

São maravilhosos para se desfrutar,
Elegantes e belos para observar,
Impossível não querer os acariciar,
Orbes celestes que nos levam ao amor,
São dignos de todo o meu louvor.

23 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

domingo, 23 de setembro de 2012

Pânico

Pavor absoluto de por me a sociedade,
Âmbito das mais traiçoeiras víboras,
Nunca hesitante em mostrar sua crueldade,
Implacavelmente ariscas e venenosas.
Corro de um lado para o outro desesperado,
Observando um mundo obliterado.

23 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Nosso Encontro De Amor

Teu belo corpo de violão,
Enche-me de grande excitação.
Não passo uma noite sem sonhar,
Em te abraçar, tua boca beijar,
E a ti, na vida e na cama, Amar.
Em nossas noites de intensas volúpias,
Compartilhamos ardentes carícias,
Pois em teu corpo encontro calor,
E ele restaura-me todo vigor,
Bem como o sabor de teus beijos.
E na maciez de teus perfeitos Seios,
Eu tenho o melhor repouso,
E só contigo conheço real gozo.
Não há nada mais perfeito,
Que o nosso sagrado leito,
Aonde não há gritos de medos,
Apenas sussurros e gemidos,
De nosso mútuo e perpétuo prazer,
O qual sou grato de contigo o ter.
O nosso Amor apaixonado é rico,
E nossos encontros nada reprimidos,
Se aos olhos alheios parecemos ousados,
É porque somos apaixonadamente safados.
De tudo o que há de bom nesta vida,
Mesmo nesta época obscurecida,
De todo meu Amor és tu a geratriz,
Minha muito Amada Beatriz.

21 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

Dentre Tuas Pernas

Dentre tuas pernas está o Fruto mais saboroso,
Amado e idolatrado por todo o meu ser.
Ninfa dona do meu amor e do meu gozo,
Inigualáveis são nossas noites de prazer.

20 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

sábado, 8 de setembro de 2012

Meus Dias

De uma maneira ou de outra,
Eu sigo em frente levado pelo tempo,
Sem, contudo, estar de cabeça erguida,
Esperançoso com o futuro ou com a vida.
Sempre cansado e sem animo,
Pouco me importo com os outros,
Egoísta e cínico eu me mostro.
Ressecado o meu sangue foi, e,
Oco ficou este meu coração.

07 de Setembro de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Quem Me Lê

Não quero repetir o trivial,
Tão pouco me render ao banal,
Mas mesmo sem inspiração,
Eu tento escrever uma canção.

Que ela seja uma obra marcante e forte,
Para quem ao meu coração importe.
Uma canção que ao coração fortaleça,
E a alma das dores se esqueça.

Uma canção para que quem a ouvir,
Se estiver em lágrimas possa sorrir,
Mesmo que numa hora de querer morrer.

Para que quando não existir calma,
E for muito forte o grito da alma,
Que me Lê, possa ter pelo que viver.

21 de Agosto de 2012
O Filho Perdido

Esperança

O que a Esperança significa?
Será que ela me dignifica?
Quando por fim eu a encontrar,
Saberei verdadeiramente a valorizar?

16 de Agosto de 2012
O Filho Perdido

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Quando Escrevo.

Quando os meus versos eu escrevo,
É para ver se por fim eu me livro,
De muitas palavras que aprisionadas,
E em minha garganta encalacradas.

Este meu coração foi amaldiçoado,
A que ninguém nunca possa tê-lo.
Sabe este poeta de coração perturbado,
Que não há quem possa compreendê-lo.

Mas secou-se de meus olhos a água,
Mesmo no peito trazendo muita mágoa,
Quando escrevo, tento buscar esperança.

Desta vida eu carrego muitos lamentos,
E temo que levado por tormentos,
Eu siga os passos de Florbela Espanca.

15 de Agosto de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Toledo

Alegre, carismática e contagiante,
Impossível não sorrir ao teu lado,
Não imaginava alguém tão radiante,
Espero ter, uma grande amiga encontrado.

15 de Agosto de 2012
O Filho Perdido

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Minha Amada Imortal

Eu nunca te encontrei,
Mas sempre te amei.
De tormentos eu posso descansar,
Quando estou a contigo sonhar.
Não sei se um dia vais tu me perceber,
Mas sei que estou pronto a te receber,
E teu príncipe encantado ser.
Desejo que saibas que eu há todo momento,
Do mal estarei sempre te protegendo,
E ainda que em mim haja um rompante de tristeza,
Sempre para ti terei um olhar de pureza,
E ainda que eu sofra a mais cruel incerteza,
E que tu venhas, para outro teu coração entregar,
Mesmo na morte, não deixarei nunca de te amar,
Nem que minha existência chegue ao seu final.
Minha Amada Imortal.

17 de Julho de 2012
O Filho de Perdido

Musa Poética

Disto que sinto e não declaro,
Apenas sonho e poetizo, poetizo.
Na esperança deste amor realizar,
Inflama-se em mim, o contigo sonhar.
16 de Julho de 2012
O Filho Perdido

Anjo Enferrujado

Meu anjo enferrujado,
Em beleza tu foste forjado,
E mesmo estando acordado,
Contigo tenho sonhado.
Na hora mais triste e fria,
Tu trouxeste a alegria.
Eu achei diante ao teu sorriso,
Que havia encontrado o Paraíso.
Como a mais bela canção,
Ascendeu em mim o fogo da paixão,
E como é linda esta emoção.
Fechando o escrito de minha Pena,
Dou-te o nome perfeito: Helena.
13 de Julho de 2012
O Filho Perdido

domingo, 24 de junho de 2012

Talvez Eu Queira

Talvez eu queira Morrer em outro dia,
Hoje eu quero conhecer a Euforia,
De me sentir plenamente Realizado,
De não ser só mais um Fracassado.

24 de Junho de 2012
O Filho Perdido

sábado, 16 de junho de 2012

Alivio

Na hora em que morria,
Finalmente eu sorria,
Ao me deitar na sepultura,
Abandono toda a amargura.

16 de Maio de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 30 de maio de 2012

O Meu Caminho

Só me inflijo o mal,
Eu sei que isso não é normal,
Mas é o que tenho conseguido,
Por minh’alma tenho temido.
Eu queria fazer o bem,
Mas este de mim se abstém.
Tenho medo de me tornar outro,
Talvez até mesmo um monstro.
Pelo caminho que tenho andado,
Estou a me tornar um Diabo,
E como me perdi da Criação,
Cai em eterna Danação.

24 de Maio de 2012
O Filho Perdido

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Que O Fim Chegue

O fim por certo virá,
E ninguém escapará,
Só me resta esperar,
Chorar e agonizar,
Um triste Lamento,
De terrível tormento.
Cessou-se todo o canto,
Mas nunca meu pranto,
Hoje todas as brisas,
Só carregam cinzas.
Nesta noite eu dormirei,
E não mais Acordarei.

24 de Maio de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Flor Preciosa

Para Beatriz
Feliz Aniversário

Espero que teu dia tenha sido de Rosas,
Mas não daquelas espinhosas.
Espero que não tenha sido um dia bravo,
Mas com toda a elegância de um Cravo.
Espero que seja um dia de brilho,
Com toda a paz que nos traz um Lírio.
Espero para ti, que o dia tenha um belo canto,
E quem sabe junto de uma bela Flor-Do-Campo.
Que o dia possa te dar uma Alma limpa,
E ter sempre a vista uma bela Tulipa.
Bela e Preciosa como tu és, nem Vênus,
Consegui ser, minha Querida Lótus.

23 de Maio de 2012
O Filho Perdido

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Meu Triste Fim

Meu corpo foi todo quebrado,
E meu espírito esta arruinado.
Não tenho forças sequer para ansiar,
Quanto mais então para lutar.
Deste campo onde não há Esperança,
Não há uma única boa lembrança.
As Trevas se apoderaram do meu coração,
Escurecido se tornou todo o meu campo de visão.
Todo o solo cobriu-se de Sangue e Pranto,
E todos os sorrisos foram cobertos de Desencanto.
Tudo que Vive fadado esta a Morte,
E isto não se vence apenas sendo Forte.
Perdido de mim mesmo, eu estou sim,
Ao menos descansarei, com o meu Fim.
Poder de Salvação não há em qualquer Deus,
E diante disto, há todos dou o meu Adeus.

18 de Maio de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Alma Inspiradora

Para Profª Paula, que além de tudo que me ensinou,
Sempre estará guardada em meu coração.

Hoje eu vi uma grande Mulher,
Uma Mulher que me fez por inteiro tremer,
Ela é uma existência que não merecia sofrer.
Uma Mulher que me encheu de esplendor,
Ela assim como eu carrega em si muita Dor.
Ela é uma Mulher fascinante,
De uma sensibilidade tocante.
Uma Mulher que há minha Alma inspira,
Ela me faz querer crescer em vida.
Uma Mulher que é uma grande Professora,
E por isso mesmo, ela É uma Alma Inspiradora.
Eu espero mais uma vez em vida A ver,
Antes que se venha o meu tempo de morrer.

09 de Maio de 2012
O Filho Perdido

terça-feira, 1 de maio de 2012

Um Sonho

Deve ser isso que é a perfeição,
Abraçar e beijar todo o teu corpo nu,
Navegando de teus Seios ao baixo ventre,
Insuflando-me no êxtase do perpétuo Clímax.

01 de Maio de 2012
O Filho Perdido

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Incompreendido

Como poeta, eu sou vilipendiado,
Mas isto até que já era esperado.
Eu sou um poeta da dor,
E este é o meu motor.
Não espere ouvir de mim uma bela canção,
Pois o meu canto é sobre corrosão.
Inspiro-me em Florbela Espanca,
Que é a Bela Flor da minha Esperança.
Prefiro por me a conversar com os Loucos,
Dentre os sãos, honestos são muito poucos.
Prefiro estar na companhia dos malditos,
Encontramos-nos em nossos Destinos,
Enquanto vagamos há esmo, como corações perdidos.
Eu prefiro muito mais a versos que curam,
Aqueles que incessantemente sangram,
Eles vêm do fundo d’alma, e estas linhas marcam.
Somente aquilo que em muito me fere,
É o que em minha vida me persegue.
Talvez eu tenha me perdido ao longo do caminho,
Só que isso já não importa, eu sigo sozinho.
Está cova que está ao relento,
Parece-me agora, um ótimo leito.
E se você achou que com estes versos, não teve sorte,
Desejo-te, que ao menos encontre uma boa morte!

26 de abril de 2012
O Filho Perdido

domingo, 15 de abril de 2012

Primeiro Amor Perdido

Às vezes eu acho que preciso te esquecer,
Do contrário eu não conseguirei viver,
E corro o risco de acabar por enlouquecer.
Mas a simples ideia de contigo não sonhar,
Põe minha Alma, a de Dor gritar.
O destino te levou a da minha vida partir,
E a mim há nunca mais sorrir.
Luz que um dia, minha vida iluminou,
Tua ausência por demais me quebrantou.
Teu amor foi minha esperança de salvação,
Mas só tenho hoje a certeza da minha danação.
Meu coração solitário vive em perpétua ruptura,
Eu te imploro, venha e me salve da Sepultura.

13 de Abril de 2012
O Filho Perdido

quinta-feira, 29 de março de 2012

Ler

Legado de um momento perfeito
Excluir-te de mim seria como ruir-me,
Ruir-me é algo que não aceito.

29 de Março de 2012
O Filho Perdido

quinta-feira, 22 de março de 2012

Família

Fui posto aqui contra minha vontade,
Agora necessito alcançar a liberdade,
Meu melhor, aos poucos, está perecendo.
Ímã de todo tipo de trauma emocional,
Longe de qualquer forma de amor estamos vivendo,
Insuficientes são todos os esforços de expurgar este mal,
Acho que disto só me livrarei morrendo!

22 de Março de 2012
O Filho Perdido

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Boa Amiga

Por ti vou as maiores de todas as alturas,
Estou aos teus pés grato e esperançoso.
Num caminhar de infindáveis aventuras,
Abençoado por teu Espírito amoroso.

23 de Fevereiro de 2012
O Filho Perdido

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Luz

Louco é provável que eu deva estar,
Unicamente trevas estou há contemplar,
Zeloso, entretanto tem sido meu observar.

08 de Fevereiro de 2012
O Filho Perdido

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Confissão

Para Chloe

Minha Amiga há muito querida,
Preciso lhe falar de uma velha ferida,
Uma angústia da qual tenho muito temor,
Pois dela sinto grandioso pavor.
Ela me assola em noites de terror,
Estampando em minha face há dor,
De todo o seu reinado de horror.
Porem como posso vir a confessar,
O que tenho medo de expressar?
Talvez seja necessária alguma Paz,
Mas esta em minha mente não se faz.
Tenho medo de o meu coração abrir,
Por não saber, como depois disso seguir,
E nem mesmo se de novo voltarei a sorrir.
Mas sempre que olho para minha sorte,
Acabo mais que tudo querendo a morte.
Triste penso que para meu coração,
Já não mais existe sequer salvação,
E nesta inércia, perco toda a força de ação,
Apático eu estou, sem esperança de redenção.
Penso, em como falar de algo complexo,
Sem cair em qualquer tipo de excesso.
Grande é o medo que está presente,
Bem como complicada é esta mente.
Se tiver de escolher apenas uma Questão,
Não creio que apenas está trará uma solução,
Mas pode ser o começo de uma transformação.
Se achar que isto está muito enrolado,
Perdoe-me, pois sou alguém complicado.
Mas chega disto tanto procrastinar,
Agora se faz necessário começar.
Talvez já não seja mais nenhum segredo,
Que vir há ser rejeitado é talvez meu maior medo.
Quando olho para meu passado,
Vejo que muito dele já foi superado,
Mas nem tudo, consegui ainda por de lado.
Nestes longos, longos tempos turbulentos,
Estou sempre prezo em muitos tormentos,
E frustrantes descontentamentos.
Por mais que me seja uma terapia escrever,
Muitas vezes faltam forças para isto fazer,
Bem como em muitos casos inspiração,
E em outros simplesmente um pouco de motivação.
Pela sua Amizade posso ter perseverança,
E até mesmo no coração alguma esperança,
De que nele haja paz, ainda que seja breve,
Mas que será pura e alva como a neve.
Sonho com Amor e uma redenção Divina,
No entanto todo dia, temo mais e mais minha ruína.
Acho melhor por aqui mesmo parar e esperar,
Já não sei mais o que de mim e nem como expressar.
Neste momento em mim há muito enfado,
E não quero tornar estes versos num fardo.
Não era isso exatamente o que tinha em mente,
E menos ainda sei se isso lhe serve como presente.

22 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

sábado, 21 de janeiro de 2012

Meu Leito

Hoje me sinto muito triste,
Em mim paz já não existe.
Vago pelo mundo me sentindo perdido,
Meu espírito está enfraquecido e partido.
Queria ter um coração que brilha,
Mas o meu próprio só me humilha.
Há tantas coisas que não deveriam ser,
E que, no entanto só me fazem sofrer.
Numa falha tentativa de me acalmar,
Só consigo vir mais e mais há chorar,
E sozinho nesta escuridão estou a sangrar.
Gostaria de nesta noite repousar em uma alcova,
Mas só caminho em direção a minha cova.

21 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Fuga?

Não quero nesta guerra lutar,
Mas não vejo como dela escapar.
Quero mais que tudo, em paz viver,
E sempre esperança no amor ter.
Gostaria de por pastos verdejantes seguir,
E em campos de batalha nunca mais vir.
Tanto eu quis ver o mundo em paz,
Mas esta cada vez mais presente não se faz.
Quis tanto viver em um mundo de pureza,
Aonde tudo que os olhos vissem fosse beleza,
E já não houvesse mais qualquer tristeza,
Nem relações de pura frieza.
Em meio há tanta desigualdade,
Só consigo me sentir mais covarde.
No meio desta grande insanidade,
Aonde foi parar nossa humanidade?
Se irrevogavelmente agora parte disto eu sou,
Então atordoado me pergunto: Onde estou?

18 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

O Sonho Acabou

Tanto eu quis te fazer sorrir,
Habilmente só vim há me ferir.
Admirado na luz da tua perfeição,
Inspirado e suspirando ficou meu coração,
Apenas a teu Amor para mim eu sonhei.
Na tua rejeição, o gosto da dor eu amarguei,
Espero agora, a vinda do dia em que morrerei.

11 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Ilusão

Tantas foram as minhas vãs ilusões.
Habitarmos um mundo de paixões,
Acalentar tua alma no meu Amor,
Imunizar-te de toda uma vida de dor,
Alegrar teu tempo neste mundo de horror,
Navegarmos por todo um mar de beleza,
Envolto num Amor de imaculada Pureza.

11 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Cruel

Eu pensava que queria Amar e Viver,
Mas hoje, isso não me é diferente de Morrer.
Ainda que eu tente, ao menos um pouco Sorrir,
Nada consigo que não seja apenas me Ferir.

10 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Eu

Eu deveria ser alguém muito sorridente,
Entretanto estou ficando mais demente.
Enquanto ainda tento não definhar,
Estou perdendo a capacidade de sonhar.

09 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido