Marcadores

Acrósticos (51) Pílulas (49) Homenagens (20) Desabafos (15) Sonetos (15) Mulheres (12)

O Que Este Poeta Está Lendo?

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Desejo Que Me Transpassa

Quero te falar de como a desejo:
Uma força do coração dominando meu pensamento,
Ela transpassa-me de excitação, está em mim todo o tempo
Rompendo as fronteiras da mera imaginação,
Operando em mim uma epopeia de paixão.

Talvez seja só mais uma loucura,
E eu nunca sinta toda tua doçura.

Hoje não. Hoje eu quero te conhecer,
Olhar em teus olhos, ouvir tua voz, te dizer
Juras de amor aos teus ouvidos,
E descobrir todos os teus caminhos.

Beatificada é tua perfeita Alma.
Enquanto ouço tua voz minha fúria se acalma,
Aqueço-me em teu corpo caloroso,
Trazendo ai o fim de toda amargura,
Rompendo toda mágoa neste ato prazeroso,
Iluminando foi-me o caminho para a cura:
Zarpar de teu porto e adentrar o Paraíso.

15 de Fevereiro de 2013
O Filho Perdido

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Apenas Eu

Os sonhos de um sonhador inveterado,
Os versos de um poeta desesperado,
Os suspiros de um coração espremido,
Os gritos de um espírito emudecido.

Já fui alguém cheio de vida,
De alegria e fortes esperanças.
Mas ao longo de minhas andanças,
Vim há este ponto de nenhuma perspectiva.

Um humilde sonhador que sonhou,
Até o ponto em que o meu sangue secou,
Como se fosse areia ou pó.

Os sonhos que sonhei nunca morreram,
Mas as esperanças todas evanesceram,
E eu estou como sempre estive: Só.

12 de Fevereiro de 2013
O Filho Perdido

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Na Vida

Eu nunca ouvi ou vi um rouxinol,
Esqueci-me da beleza do nascer do Sol.
Se muitas vezes eu me encontro cheio de horror,
É que na vida não queria sentir tanta dor.

11 de Fevereiro de 2013
O Filho Perdido

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Onde Estão?


Reguladores do que escrevo,
Sintam todo meu desprezo.
A cada linha sentida e escrita,
Aparecem infelizes cheios de crítica.

Se eu escrevo tomado por regras,
Ou pela mais pura liberdade,
Não quero normalistas e suas pregas,
Tentando anormalizar minha normalidade.

Escrever sob-regras e uma norma,
Que ao próprio Poeta ignora,
E o restringe a uma vida de solidão.

Malditos normalizadores céticos,
Que nos impõem um mundo frenético.
Onde estão os versos do coração?

10 de Fevereiro de 2013
O Filho Perdido