Marcadores

Acrósticos (51) Pílulas (49) Homenagens (20) Desabafos (15) Sonetos (15) Mulheres (12)

O Que Este Poeta Está Lendo?

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Envelhecimento Cruel

Meus caminhos desapareceram,
Com os anos em que vivemos.
O gosto de minha doce ilusão
Foi-se, e só me deixou o peso da razão.
Frustração, descontentamento e amarguras,
Compõe minha existência sem molduras.
O sono da razão gerou monstros,
Que estiveram em minha companhia,
Afastando a todos os rostos,
E me cegaram ao que minha mão fazia.
Dez anos jogados ao lixo,
Dez anos vivendo como bicho.
Hoje, adulto melindrado,
Não mais que um bebê mimado.

05 de Junho de 2013
O Filho Perdido

Apenas Um Anjo

Minha noite valeu à pena,
Ante tua beleza estupenda.
No metro, no ônibus, ou na rua,
Tudo resplandece pela luz da face tua.

04 de Junho de 2013
O Filho Perdido