Marcadores

Acrósticos (51) Pílulas (49) Homenagens (20) Desabafos (15) Sonetos (15) Mulheres (12)

O Que Este Poeta Está Lendo?

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Confissão

Para Chloe

Minha Amiga há muito querida,
Preciso lhe falar de uma velha ferida,
Uma angústia da qual tenho muito temor,
Pois dela sinto grandioso pavor.
Ela me assola em noites de terror,
Estampando em minha face há dor,
De todo o seu reinado de horror.
Porem como posso vir a confessar,
O que tenho medo de expressar?
Talvez seja necessária alguma Paz,
Mas esta em minha mente não se faz.
Tenho medo de o meu coração abrir,
Por não saber, como depois disso seguir,
E nem mesmo se de novo voltarei a sorrir.
Mas sempre que olho para minha sorte,
Acabo mais que tudo querendo a morte.
Triste penso que para meu coração,
Já não mais existe sequer salvação,
E nesta inércia, perco toda a força de ação,
Apático eu estou, sem esperança de redenção.
Penso, em como falar de algo complexo,
Sem cair em qualquer tipo de excesso.
Grande é o medo que está presente,
Bem como complicada é esta mente.
Se tiver de escolher apenas uma Questão,
Não creio que apenas está trará uma solução,
Mas pode ser o começo de uma transformação.
Se achar que isto está muito enrolado,
Perdoe-me, pois sou alguém complicado.
Mas chega disto tanto procrastinar,
Agora se faz necessário começar.
Talvez já não seja mais nenhum segredo,
Que vir há ser rejeitado é talvez meu maior medo.
Quando olho para meu passado,
Vejo que muito dele já foi superado,
Mas nem tudo, consegui ainda por de lado.
Nestes longos, longos tempos turbulentos,
Estou sempre prezo em muitos tormentos,
E frustrantes descontentamentos.
Por mais que me seja uma terapia escrever,
Muitas vezes faltam forças para isto fazer,
Bem como em muitos casos inspiração,
E em outros simplesmente um pouco de motivação.
Pela sua Amizade posso ter perseverança,
E até mesmo no coração alguma esperança,
De que nele haja paz, ainda que seja breve,
Mas que será pura e alva como a neve.
Sonho com Amor e uma redenção Divina,
No entanto todo dia, temo mais e mais minha ruína.
Acho melhor por aqui mesmo parar e esperar,
Já não sei mais o que de mim e nem como expressar.
Neste momento em mim há muito enfado,
E não quero tornar estes versos num fardo.
Não era isso exatamente o que tinha em mente,
E menos ainda sei se isso lhe serve como presente.

22 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

sábado, 21 de janeiro de 2012

Meu Leito

Hoje me sinto muito triste,
Em mim paz já não existe.
Vago pelo mundo me sentindo perdido,
Meu espírito está enfraquecido e partido.
Queria ter um coração que brilha,
Mas o meu próprio só me humilha.
Há tantas coisas que não deveriam ser,
E que, no entanto só me fazem sofrer.
Numa falha tentativa de me acalmar,
Só consigo vir mais e mais há chorar,
E sozinho nesta escuridão estou a sangrar.
Gostaria de nesta noite repousar em uma alcova,
Mas só caminho em direção a minha cova.

21 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Fuga?

Não quero nesta guerra lutar,
Mas não vejo como dela escapar.
Quero mais que tudo, em paz viver,
E sempre esperança no amor ter.
Gostaria de por pastos verdejantes seguir,
E em campos de batalha nunca mais vir.
Tanto eu quis ver o mundo em paz,
Mas esta cada vez mais presente não se faz.
Quis tanto viver em um mundo de pureza,
Aonde tudo que os olhos vissem fosse beleza,
E já não houvesse mais qualquer tristeza,
Nem relações de pura frieza.
Em meio há tanta desigualdade,
Só consigo me sentir mais covarde.
No meio desta grande insanidade,
Aonde foi parar nossa humanidade?
Se irrevogavelmente agora parte disto eu sou,
Então atordoado me pergunto: Onde estou?

18 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

O Sonho Acabou

Tanto eu quis te fazer sorrir,
Habilmente só vim há me ferir.
Admirado na luz da tua perfeição,
Inspirado e suspirando ficou meu coração,
Apenas a teu Amor para mim eu sonhei.
Na tua rejeição, o gosto da dor eu amarguei,
Espero agora, a vinda do dia em que morrerei.

11 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Ilusão

Tantas foram as minhas vãs ilusões.
Habitarmos um mundo de paixões,
Acalentar tua alma no meu Amor,
Imunizar-te de toda uma vida de dor,
Alegrar teu tempo neste mundo de horror,
Navegarmos por todo um mar de beleza,
Envolto num Amor de imaculada Pureza.

11 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Cruel

Eu pensava que queria Amar e Viver,
Mas hoje, isso não me é diferente de Morrer.
Ainda que eu tente, ao menos um pouco Sorrir,
Nada consigo que não seja apenas me Ferir.

10 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Eu

Eu deveria ser alguém muito sorridente,
Entretanto estou ficando mais demente.
Enquanto ainda tento não definhar,
Estou perdendo a capacidade de sonhar.

09 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

domingo, 8 de janeiro de 2012

Sono

Sem forças estou para continuar a escrever,
Obstinado, porém, eu não quero parar.
Nisto que com muito custo estou há fazer,
Observo minha vida, a que tento salvar.

07 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Um Canto

Dona de todo o meu Amor,
A ti este humilde canto,
Nascido em uma noite de dor,
Inundada do meu pranto.

06 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Realidade

Desisto de tentar continuar a viver,
Agora apenas desejo logo morrer,
Nunca serei capaz de sem tu sorrir,
Importa somente não mais existir.

04 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Habitação

Depois de no teu calor gozar,
Até a morte quero a ti amar.
No ardor do teu amor sempre habitar,
Imune ao mal que tenta me matar.

04 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Clímax

Depois que aqui contigo gozei,
Apenas a ti, e a nenhuma outra amarei.
Não há nada que seja tão gostoso,
Inigualável foi este nosso gozo.

04 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Ânfora Da Vida

Dentre tuas coxas venho encontrar,
A ânfora de gozo geratriz de vida.
No teu amor só que posso me curar,
Iluminando-me por esta vida sofrida.

03 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Minha Vida Em Ti

Depois do tempo de contigo gozar,
Aguardo apenas o tempo de morrer.
Nenhuma outra sou capaz de amar,
Inato sem teu amor eu sou para viver.

03 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Minha Anfitriã

De quatro tu está para mim,
Anfitriã que sabes me receber.
Num recinto de prazer sem fim,
Indispensável para se bem viver.

03 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Tédio

Para o vazio do Tédio,
Ainda não existe remédio,
Se não sentir a amargor,
Advindo de uma nova dor.

02 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Unicidade

Dentro de ti, sou um só ser contigo,
Alcançamos um no outro a perfeição,
Na existência, no amor, e no prazer,
Imaculado é este nosso sublime ato.

02 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Minha Ninfa

Delicioso por demais é teu corpo,
Amante do meu gozo, da minha paixão.
Ninfa abençoada que me leva aos céus,
Impossível é a ti não amar e gozar.

02 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

Nesta Noite

Nesta noite o que mais quero é morrer,
Já não mais encontro razão para viver.
Sempre desejei encontrar o amor,
E compartilhar o gosto do seu calor,
Mas só me deparo com um reino de dor.
Será que ainda pode existir beleza,
Neste mundo infernal de frieza?
Tentei olhar tudo através da arte,
Mas em tudo só contemplo a fase da morte.
Agora me encontro totalmente sozinho,
Embalado apenas por uma taça de vinho.
Como não se sentir terrivelmente perdido,
Carregando dentro de si um coração partido?
Como se pode saber o que querer,
Quando nem ao menos se sabe o que ser?
Tento ao menos a mim próprio amar,
Mas só chego cada vez mais a me odiar.
Queria poder em algo ser muito bom,
Mas triste percebo que não possuo qualquer dom.
Nesta noite quero muito morrer,
Já não mais vejo razão para ser.
Nesta noite o que mais quero é morrer,
Para então um pouco de paz obter.

02 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

More

“I want more/ (And I need all the love that I can't get to/And I need all the love I can get/And I need all the love that I can't get to)”
The Sisters Of Mercy-More
Eu só queria poder amar,
Mas estou mais e mais a definhar.
Para mim não encontro salvação,
Tão pouco a possibilidade de redenção.
Por que continuo tão complacente,
Para com tudo que se mostra doente?
Queria ter alguém a me tocar,
Porem só vem quem me quer ver sangrar.
Nesta noite em que nada posso conseguir,
Talvez o melhor seja para longe daqui partir.
Eu busquei tanto e com tanto afinco o calor,
Do mais puro e verdadeiro amor,
Mas só vim a descobrir o gosto da dor,
Que ao corpo e a alma enche de amargor.
Eu queria sentir amor pela minha vida,
Mas esta me parece cada vez mais perdida.
E agora que se acabou a esperança de viver,
Somente me resta o desejo de logo morrer.

02 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido

domingo, 1 de janeiro de 2012

Presente

Para Chloe
Completou-me um vazio interior,
Heresia seria isso não admitir,
Longe do mal me leva teu amor.
Obrigado por me fazer sorrir,
Esteja na vida sempre com o melhor.

01 de Janeiro de 2012
O Filho Perdido